O Coral Juvenil de São Cristóvão foi fundado em 2006 após pedido do Pároco Jorge Duarte (Mafamude) ao maestro José Manuel Marques, para a formação de um grupo de gente nova para animar a Eucaristia dominical das 10 h 30 min. O novo grupo coral acolheu crianças, adolescentes e jovens, recebeu o nome de São Cristóvão em honra do padroeiro da Paróquia de Mafamude e teve desde logo José Manuel Marques como maestro.

Saúde mental para toda a vida.

geral@amigosdoziki.pt | (00351) 966 452 204 | Apartado 1052 / 4101-001 PORTO / PORTUGAL

8 outubro 2016

21:30

Auditório do Centro Paroquial de Mafamude, V. N. de Gaia

Maestro José Manuel Marques

Nasceu em 6 de abril de 1961 na cidade do Porto vivendo a sua infância e parte da juventude em Mafamude, Vila Nova de Gaia.

Começou a sua carreira musical aos 9 anos, acompanhando ao órgão o canto de um pequeno coro em algumas eucaristias dominicais da paróquia de Mafamude.

Graças ao mestre e organista Albino Santos, que o influenciou e preparou para seguir os estudos musicais e por iniciativa do, à época, pároco de Mafamude, começou os seus estudos musicais aos 10 anos (ainda com idade inferior ao exigido por essa escola), no Centro de Cultura Católica (CCC), no Porto, nas classes de piano e órgão litúrgico .

Após 4 anos de estudos nesta escola, ingressou no Conservatório de Música do Porto, na classe de piano, que concluiu aos 20 anos.

Formou-se em órgão litúrgico no CCC, paralelamente aos estudos de piano no Conservatório.

Após terminar o seu curso estudou direção coral, direção de orquestra e ainda composição. Trabalhou com grandes orquestradores e compositores portugueses (Paulino Garcia, Segundo Galarza entre outros).

Em 1980 criou o seu primeiro grupo coral, o Grupo Paroquial e Recreativo de Mafamude, composto por crianças e jovens. Foi seu diretor, ensaiador e maestro durante 22 anos. Formou grandes vozes e excelentes músicos e fundou, orientou e dirigiu a orquestra do grupo que habitualmente acompanhava os concertos e atuações do mesmo.

É uns dos fundadores do Grupo Folclórico de Danças e Cantares de Mafamude, do qual ainda faz parte como instrumentista.

De 1988 a 1995 lecionou as disciplinas de piano e órgão na Academia de Águeda e nesta academia fundou e dirigiu a Orquestra Ligeira de Águeda e o coral infanto-juvenil desta academia que, entretanto, tiveram o seu fim após o seu regresso a Vila Nova de Gaia, em 1996.

Durante a sua vida como professor passou por algumas escolas e academias de música privadas, onde lecionou as seguintes disciplinas: piano, órgão, flauta transversal, guitarra clássica, baixo, instrumentos tradicionais, canto  e formação coral.

Desde 1988 é organista na Paróquia de Mafamude e acompanha os Corais da Paróquia em grandes solenidades.

Entre 2001 e 2004 ensaiou e dirigiu o coral da eucaristia de sábado, da Capela de Vilar do Paraíso.

Em 2006 criou o Coral Juvenil de São Cristóvão, na Paróquia de Mafamude, composto por crianças, adolescentes e jovens o qual ainda dirige e ensaia.

Em 2010 criou o grupo de música tradicional portuguesa Luar de Agosto, que abandonou em março de 2016 na intenção de desenvolver outros projetos.

Dirige, desde outubro de 2015, o coral da eucaristia das 8 da manhã na Capela de Santo Ovídio.

Dirige, desde junho de 2016, o Coro do Orfeão de Valadares, sendo o seu ensaiador e maestro.

Assumiu também a Direção da Escola de Música do Orfeão de Valadares (EMOV), assumindo a orientação pedagógica da mesma e na qual leciona também algumas disciplinas.

 Coral do Orfeão de Valadares

 Coral Juvenil de São Cristóvão

Os membros do Coral Juvenil de São Cristóvão têm idades compreendidas entre os 6 e os 28 anos e o grupo integra ainda uma orquestra de músicos jovens e adultos. Para além da participação em diversas atos religiosos, o Coral Juvenil de São Cristóvão promove, organiza e participa em espetáculos e concertos de música religiosa e de outros estilos musicais.

Coral Juvenil de São Cristóvão

Coral do Orfeão de Valadares

O Orfeão de Valadares nasceu numa noite de 1927 à saída do "Clube dos Macavencos".

Um grupo de entusiastas de Valadares uniu-se e criou esta associação, com os objetivos principais do desenvolvimento da Cultura, da Arte e a promoção do Recreio, da prática do bem e da instrução. Os três primeiros "atores" desta iniciativa foram o Dr. Ângelo Pereira Gandra, o Prof. Amadeu José dos Santos e o Prof. Aquino de Sousa e Cunha.

A primeira apresentação em público realizou-se no Cine Teatro Eduardo Brazão a 26 de Fevereiro de 1928. O Governo Civil reconheceu o Orfeão de Valadares em 4 de outubro de 1946, dezoito anos após o respetivo pedido.

Em 2016 o Orfeão de Valadares tem cerca de 400 associados. O Coral do Orfeão de Valadares é o “ouro” da casa, sendo atualmente dirigido pelo maestro José Manuel Marques. Ao piano é acompanhado pelo jovem pianista Pedro Carvalho. Conta atualmente com cerca de sessenta coralistas, nas mais diversas faixas etárias, distribuídos pelos quatro naipes mistos (sopranos, tenores, contraltos e baixos).

O Coral do Orfeão de Valadares pretende preencher um espaço cultural privilegiado, tendo como objetivos promover a música vocal e a cultura na vila de Valadares e no Concelho de Vila Nova de Gaia, pela participação em festivais e encontros de coros nacionais e internacionais, com destaque para a participação no Festival Internacional de Praga, na República Checa, em julho de 2015.

Programa

           > Aqui Estamos Nós (Hino do Coral Juvenil de São Cristóvão

                      Música e letra do maestro José Manuel Marques

           > A Ti Homem

                      Música e letra do Maestro José Manuel Marques

           > Imagem de um Mundo Novo

                      Música e letra do maestro José Manuel Marques

           > Vem e Segue-Me

                      Música e letra do maestro José Manuel Marques

           > Hino do Orfeão de Valadares

                      Popular

           > Amazing Grace

                      Hino cristão de 1779

           > Va, Pensiero (Coro dos Escravos Hebreus)

                      Giuseppe Verdi

           > Panis Angelicus

                      César Franck

           > Num Só Corpo e Alma Irmão

                      Cântico Tradicional Alemão