Saúde mental para toda a vida.

geral@amigosdoziki.pt | (00351) 966 452 204 | Apartado 1052 / 4101-001 PORTO / PORTUGAL

12 novembro 2016

21:30

Auditório do Centro Paroquial de Mafamude, V. N. de Gaia

Pequenos Cantores da Maia

eCOROmia

Programa

> Porta do sorriso

         Letra de Mizé Rouxinol e Música de Victor Dias

> Viva a amizade

         Letra e Música de Victor Dias

> Tudo tem de ser QB

         Letra de Mizé Rouxinol e Música de Victor Dias

> Viver Saudável

         Letra de Mizé Rouxinol e Música de Victor Dias

> Canção Simples

         Letra de Mizé Rouxinol e Música de Victor Dias

> Fitas de Natal

         Letra de Mizé Rouxinol e Música de Victor Dias

> A Vivandeira

         Popular sec. XIX; Açores

> A saudade

         Popular sec. XIX; Açores

> Porque não me vês Joana

         Cancioneiro de Elvas n.º 20

> Menina, estás à Janela

         Popular Alentejo

> Se tu és o meu amor

         Popular

> Aquam quam ego dabo

         Frei Manuel Cardoso

 Pequenos Cantores da Maia

música, com a particularidade de não terem por isso, os seus pais, de suportar qualquer encargo financeiro. Bem pelo contrário, retirando daí todo um conjunto de outros benefícios de carácter social e cultural, muito enriquecedores.

A destacar no seu imenso palmarés de participações especiais estão as atuações integradas no Concerto Comemorativo dos 150 anos da Região Militar do Norte com a Banda Militar do Porto, no Concerto de Natal no Quartel General do Porto a convite do General Comandante, nas Festas de Natal da Rádio Renascença realizadas no Coliseu, no Concerto no Museu da Marinha, no Concerto no Claustro do Convento de S. Bento da Vitória com a Orquestra do Porto dirigida pelo Maestro António Vitorino de Almeida, na estreia de uma obra sua, e ainda, entre outros, nos Concertos a favor da UNICEF pelos quais o Comité Português desta organização entregou aos Pequenos Cantores da Maia, na pessoa do seu fundador, a medalha de prata.

Nas várias tournées que o grupo já realizou a nível nacional percorrendo o país do Minho ao Algarve e de outras realizadas ao estrangeiro, nomeadamente a Espanha, fruto dos vários Protocolos de Geminação e Cooperação Cultural celebrados pela Câmara Municipal da Maia, destaca-se com particular enfoque a digressão à Finlândia no ano de 1997, com atuações em direto nas rádios e televisão. Merece especial relevo o concerto dado na Casa do Pai Natal, na Lapónia e na Ópera de Helsínquia, acompanhados pela Banda Filarmónica da Polícia Municipal da capital finlandesa.

Com seis discos gravados, o primeiro com a participação de Rui Reininho e versando o tema ambiente com o título sugestivo “Eu e o Meu Amigo Planeta”, o segundo intitulado “Canções para o Natal” que integra Canções Tradicionais de Natal, música de Filmes, Clássicos e Música de raiz Tradicional Portuguesa, o grupo conta ainda com uma participação noutro disco designado por “A Maia em Música”.

Em Dezembro de 2007, os Pequenos Cantores da Maia foram convidados pelo Presidente da República, Prof. Dr. Aníbal Cavaco Silva, para abrilhantar a cerimónia oficial de inauguração da exposição dos presépios portugueses, patente no Palácio de Belém.

A sua participação, em 2008, no Disney Magic Music Days, com uma atuação no Festival Stage, no Palácio da Bela Adormecida, representa para as crianças do Coral Infantil Municipal da Maia, a concretização de um sonho, tanto mais que foram os primeiros artistas portugueses a serem convidados para integrar este festival comemorativo do 15º aniversário e, até essa data, mesmo os únicos a representar Portugal, nos eventos musicais promovidos pela Disney Land Paris.

No Natal de 2009, os Pequenos Cantores participaram, pelo 15º ano consecutivo, na edição do mais popular programa da televisão portuguesa, Natal dos Hospitais, tendo honras de abertura.

O Coral Infantil Municipal dos Pequenos Cantores da Maia realizou em 2010, a maior produção de sempre, num projeto em que se conciliam as Artes Plásticas, pela mão do Pintor Daniel Africano, as Letras, pela mão de Mizé Rouxinol e a Música, pela mão do Compositor e Maestro do Coral, Victor Dias, lançando a fantasia musical “Pzzim é um raio de energia”, cujo protagonista é um raio de energia limpa e renovável.

No Natal de 2012, lançaram “Comboio de Natal”, álbum com canções originais de Victor Dias (Música) e Mizé Rouxinol (Letras), que conta com a participação especial de José Cid e Susana Félix.

Em 2013, partilharam a interpretação de temas emblemáticos como “We are the World”, “What a wonderful World” e outros, com o cantor e imitador, Fernando Pereira, numa Gala apresentada por Júlio Isidro.

No Verão de 2014, gravaram o tema “We feel sport”, hino oficial do evento Maia Cidade Europeia do Desporto – 2014, tema original com Música de Victor Dias e Ana Lídia Rouxinol, com letra de Mizé Rouxinol, em que participam como convidados, ROGG-MC e Fernanda Ribeiro, campeã olímpica da Maratona de Atlanta.

Em Outubro de 2014, foram convidados para a estreia da canção “O melhor está p’ra vir”, com letra e música de Pedro Abrunhosa, apresentando o tema com o músico, na Casa das Artes, em Famalicão. Em Novembro de 2014, gravaram esse tema com o próprio Pedro Abrunhosa, no seu estúdio privativo, para o próximo álbum da estrela Pop e para o lançamento nas redes sociais do videoclip da canção, integrado numa campanha que foi levada a cabo, pela Mundos de Vida, no Dia Nacional do Pijama, com uma distribuição gratuita, já assegurada para mais de 200 mil crianças, em todo o país. No natal de 2014, deram um concerto no salão nobre da Assembleia da República, a convite da Dr.ª Assunção Esteves, Presidente do Parlamento.

Em Maio de 2015, partilharam de novo o palco com Pedro Abrunhosa, no Festival de Música da Maia. Neste certame das músicas, foram igualmente convidados de Vitorino e de Rubim, músico com o qual gravaram em estúdio, a canção “Um sonho engraçado”.

Em Junho de 2015, os Pequenos Cantores da Maia, apresentaram-se em concerto, na Sala Guilhermina Suggia, na Casa da Música, com a Orquestra Filarmonia das Beiras, contando com a participação especial de Isabel Alcobia, soprano, Carlos Guilherme, tenor, e Luís Portugal dos Jafumega, no concerto Notas Solidárias, comemorativo dos 15 anos da Fundação Infantil Ronald McDonald, no qual estrearam, em versão coral sinfónica, as obras “Férias na aldeia”, do compositor Victor Dias, com letra de Carlos Frazão, e “Porta do sorriso”, canção-hino dedicada à missão desta Fundação, composta por Victor Dias / Ana Lídia Rouxinol e poema de Mizé Rouxinol.

Entre Junho de 2015 e Setembro de 2016, realizou mais de 40 concertos, apresentando-se por diversas vezes nas televisões, tendo participado igualmente em vários Festivais nacionais e internacionais, o último dos quais teve lugar no Centro de Artes e Espetáculo da Figueira da Foz, a 18 de Setembro.

O Coral Infantil Municipal é dirigido desde a sua fundação, artística e musicalmente, pelo Maestro e Compositor Victor Dias, contando atualmente com a colaboração de uma assistente e antiga Pequena Cantora, a Maestrina Ana Lídia Rouxinol, aluna do 6º ano de Medicina, na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto e Diretora Artística do Coro daquela faculdade.

Desde 2001 é seu Patrono, o Eng.º António Gonçalves Bragança Fernandes, Presidente da Câmara Municipal da Maia, entidade que tutela esta instituição artística de cultura musical para a infância.

O Coral Infantil Municipal dos Pequenos Cantores da Maia foi fundado por iniciativa pessoal do Presidente da Câmara Municipal da Maia, Prof. Dr. José Vieira de Carvalho, no ano de 1991, tendo realizado o seu Concerto de Estreia a 1 de Janeiro de 1992. Desde a sua fundação já passaram pelos bancos da sala de ensaios do coro, várias centenas de crianças oriundas de todas as Freguesias do Concelho da Maia, que desta forma tiveram a oportunidade de viver uma experiência artística única no mundo da

 eCOROmia — Coro da Faculdade de Economia do Porto

Movidos pela sua paixão pela música e pela vontade de enriquecer o seu percurso académico, eis que um grupo de estudantes audaciosos faz nascer, a 29 de Outubro de 1996, o eCOROmia. Dirigidos por Alexandre Pires, carinhosamente conhecido como mestre eCOROmia, tiveram a sua primeira atuação em casa, a mui nobre Faculdade de Economia do Porto, que, rendida ao seu espírito, os acolheu de braços abertos e desde então não cessou de os apoiar. O eco da sua música não tardou a extrapolar as paredes de sua casa, e rapidamente o eCOROmia se tornou conhecido por todo o Porto, tendo já atuado nas suas salas de concertos mais conceituadas como o Rivoli, o Coliseu, o Ateneu Comercial, o Teatro Sá da Bandeira e a Alfândega.

Mas não ficámos por aqui. Já levamos “bem alto e a bom som” o nome da nossa faculdade de norte a sul de Portugal e além-fronteiras. Em 2002 estreámo-nos no FIMU – Festival Internacional de Música Universitária, em Belfort e desde então participámos também no Festival de Música de Natal e Advento em Praga, onde conquistámos um honroso prémio de bronze, e no Festival Internacional de Coros Ensembles Polyphoniques, no Sul de França, em 2005 e 2010.

Até aos dias de hoje, a nossa essência manteve-se e estamos cada vez mais fortes, dado o contributo dos já 204 membros. Dirigidos pelo Maestro Miguel Leitão, alegramos a cidade do Porto através de atuações regulares na Baixa e na Ribeira. Ademais, é habitual levarmos a cabo projetos da nossa própria autoria, que reflitam tanto o nosso compromisso em levar o eCOROmia mais além, como a nossa vertente solidária e altruísta. Neste contexto, inserem-se os seis eCOROscantam organizados desde 2000 e os concertos de Natal cujas receitas revertem para instituições de solidariedade. É-nos tradicionalmente incumbida, também, a responsabilidade de organizar o ECAP – Encontro de Coros da Academia do Porto, no âmbito das atividades da Semana da Queima das Fitas da Federação Académica do Porto.

Ao longo dos seus 19 anos de história, o eCOROmia não ficou alheio ao rebuliço da indústria musical e foi recheando o seu reportório, combinando “os clássicos” com as novidades mais recentes. Desta forma, o nosso reportório é, atualmente, composto por música popular portuguesa e brasileira, sacra, contemporânea e ainda por algumas baladas. Aqui ficam os títulos daquelas que já se tornaram a nossa marca e pelas quais somos reconhecidos: “Barbara Ann”, “Bohemian Rhapsody”, “Nothing Else Matters”, “Signore delle cime”, “Rock Around the Clock”, “Fix You”, “A Gente Vai Continuar”, “Balada de despedida do V ano Jurídico” e “Tiro ao Álvaro”.

Todas estas músicas se encontram compiladas nos dois CD já editados: o primeiro intitulado “Setenta Metros de Sol” e o segundo “eCOROmia – 15 anos a fazer História”.

Maestro Miguel Leitão

Miguel Leitão nasceu no Porto em 1980. Ingressou no Conservatório de Música do Porto em 1999, na classe da professora Cecília Fontes. Em 2002 foi admitido na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto, na classe do professor Rui Taveira, tendo finalizado a Licenciatura em 2008. Neste mesmo ano foi admitido como membro permanente do Estúdio de Ópera da Casa da Música do Porto.

Apresentou-se diversas vezes em concerto desde 2002 tanto em Portugal como no estrangeiro, das quais se destaca:

Em Maio de 2006 apresentou-se com a Orquestra Nacional do Porto em “Pulcinella” de Stravinsky. No mesmo ano, foi Bastien na ópera de Mozart “Bastien und Bastienne”, encenada por João Henriques. Com a Remix Orquestra Barroca interpretou Oloferne na Oratória de Francisco António de Almeida “La Giuditta”, dirigido por Lawrence Cummings. No Festival de Música Antigua de Daroca – Espanha apresenta-se com os Segréis de Lisboa na “Missa em Mi” de Carlos Seixas. Em Dezembro de 2006, novamente com o Remix Orquestra Barroca, integra o octeto de “Gloria a 7 voci” de Cláudio Monteverdi.

Durante o Verão de 2007 participou no festival de Aldeburgh (Inglaterra), na produção de “Death in Venice” de B. Britten, onde interpretou o Glass Seller. Fez ainda parte do festival de Bregenz (Áustria), onde, para além desta produção integrou o elenco de “Playing Away” de B. Mason onde foi o Crazed Fan. Ainda em 2007 foi Tancredi em “Il Combattimento di Tancredi I Clorinda” numa produção encenada por Catarina Costa e Silva e dirigida por Ana Mafalda Castro na Fundação Gulbenkian.

Fez parte do coro do Festival de Glyndebourne na época de 2008 onde cantou em “Carmen” de Bizet, “Eugene Onegin” de Tchaikovsky, e “L’Icoronazione di Poppea” de C. Monteverdi. Ainda durante a tournée desta companhia cantou “Flauta Mágica” de W.A. Mozart onde também fez o cover de Monostatos.

Frequentou masterclasses e workshops com os professores Peter Harrison, Lorna Marshall, Ana Ester Neves, Cecília Fontes, Jill Feldman, Muriel Corradini, Jeff Cohen, Eugene Asti, Philip Langridge, Malcolm Martineau, François Le Roux., Lada Valesova, Delia Lindon, Jaime Mota, David Wilson Johnson e William Lacey.

Recentemente, e após uma longa experiência coral, tem-se dedicado à direção, tendo dirigido o Coro Anonymus na época de 2009/2010, durante a qual o coro se apresentou por inúmeras vezes em concerto, finalizando com uma participação no Festival Internacional de Coros de Freamunde, onde obteve o 3.º lugar na categoria Sacra e um diploma bronze na categoria Folk.

Dirige, desde Outubro de 2010, o eCOROmia (Coro Académico da Faculdade de Economia da Universidade do Porto).

Leciona a disciplina de Música no Centro Integrado de Apoio à Deficiência (CIAD), onde desenvolve trabalho com pessoas portadoras de deficiência na área da música.

Leciona em várias escolas e academias as disciplinas de Canto e Coro.

Maestro Victor Dias

Nasceu na Maia em 1962.

Estudou piano com a Professora Isabel Vasconcelos.

Frequentou os cursos de música Orff com o Professor Jos Witack, fez o curso de técnica vocal e Coro de Câmara com o Professor Ward Swingle (EUA) - fundador dos SWINGLE SINGERS e o curso de regência coral, no Conservatório de Música da Fundação Calouste Gulbenkian em Braga, sob a Direção Pedagógica do Maestro Prof. Dr. Mário Mateus.

Desde 1989, participou por diversas vezes, como convidado, nos Cursos de Verão do Instituto Internacional das Tecnologias Aplicadas à Música, em Paris e tem publicado em órgãos de comunicação social escrita (Revista da Música e Fórum Clássica) artigos de opinião técnica sobre tecnologias e software específico para a composição musical.

Desde 1985 que é autor e compositor de canções para crianças, tendo participado nessa qualidade em inúmeros Festivais Nacionais e Internacionais, como a Gala dos Pequenos Cantores na Figueira da Foz, o Festival da Canção Infantil de Setúbal, o Festival da Associação Nacional dos Professores do Ensino Básico, no Festival da Canção Infantil da Costa do Estoril e o Festival Mundial da Canção Infantil - Sequim D' Ouro (Itália), certame difundido para todo o Planeta, via Eurovisão e Mundovisão, onde também nessa qualidade de compositor, representou Portugal. Obteve nestes Festivais honrosas classificações, arrebatando muitas vezes os prémios de melhor música e melhor canção para a infância.

É desde a sua fundação, o Maestro do Coral Infantil Municipal dos Pequenos Cantores da Maia e do Grupo Vocal Municipal dos Jovens Cantores - Amigos da Música, instituições residentes no Fórum da Maia, sendo também compositor de parte muito significativa do seu reportório.

Colaborou já em inúmeros programas de televisão e, em 2008, dirigiu e produziu a gravação, da versão coral sinfónica, do Hino do Hospital de S. João (Porto), apresentado em estreia absoluta, na aula magna da Faculdade de Medicina, em sessão solene presidida pelo Ministro da Saúde.

É realizador de um programa de divulgação cultural (difundido em rede regional, na Rádio 5 (Maia), Rádio Trofa, Rádio Voz de Santo Tirso, Rádio Voz de Aveiro, Sopete Rádio Mar da Póvoa do Varzim, Rádio no Ar, de Viseu e Rádio Fronteira, de Vilar Formoso). É ainda, compositor de música para suporte de bandas sonoras, jingles, filmes publicitários e curtas-metragens. Realizou e dirigiu vários documentários, destacando-se o filme “Romeiros – quem somos nós”, um documentário temático dedicado à secular devoção da Terra da Maia, por Nossa Senhora do Bom Despacho. A 1 de Janeiro de 2011 apresentou, em estreia absoluta, a obra que compôs expressamente para a sua terra, o Hino da Maia, cuja versão sinfónica se encontra já gravada em estúdio, sob a sua direção artística.

Maestrina Ana Lídia Rouxinol

Diretora artística e maestrina do Coro da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, formação artística que se estreou publicamente na Gala comemorativa dos 190 anos daquela instituição, realizada no Coliseu do Porto, tendo num dos dois momentos em que participou no evento, atuado como coro de suporte de Pedro Abrunhosa.

É aluna finalista (6º ano) do curso de Medicina daquela faculdade, onde exerce também funções de Assistente.

Em paralelo ao seu percurso do ensino formal regular, frequentou o 8º grau do curso de Violino, no Conservatório de Música da Maia, onde concluiu igualmente o plano de estudos, em Técnicas de Análise e Composição e História da Música, Formação Musical, Acústica Musical e Classe de Conjunto (Coro e Orquestra).

Em agosto de 2015, frequentou em Manchester (UK), o curso internacional de direção coral, onde adquiriu novos conhecimentos e enriqueceu a sua técnica de regência e metodologia de ensaio, para além de ter partilhado experiências concretas de trabalho em conjunto com outros maestros e preparadores vocais.

No seu currículo artístico-musical averba participações na Orquestra do Conservatório, em concertos no Centro Cultural de Belém, Casa da Música, Auditório do Palácio da Bela Adormecida, na Disney Land Paris, no Palácio de la Cultura, em Léon, Espanha, além de inúmeros concertos no Fórum da Maia e em diversos auditórios por todo o país.

Em 2010, integrada no ensemble “Notas Soltas”, representou Portugal, no Concurso Internacional de Música Petr Eben, em Praga (República Checa), onde obteve a Medalha de Prata, numa competição com mais de 40 países.

Venceu nesse mesmo ano, o concurso “A República – O meu discurso em 2010” promovido pela Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário, tendo-se constituído como a primeira cidadã, oriunda da sociedade civil, a proferir um discurso integrado no programa oficial do protocolo de Estado, antecedendo o Presidente da República.

Desde Setembro de 2012 é maestrina assistente do Coral Municipal dos Pequenos Cantores da Maia, tendo dirigido o coro em concerto com Pedro Abrunhosa, concerto de comemoração dos 40 anos do 25 de Abril, no município da Maia, no concerto de Natal 2014 na Assembleia da República Portuguesa a convite da Presidente da Assembleia da República, entre muitos outros.

Enquanto compositora, compôs, em parceria com Victor Dias, músicas para os Pequenos Cantores da Maia e Luís Represas, Fernando Tordo, Diana Bastos, e mais recentemente o Hino da Capital Europeia do Desporto 2014 e o Hino da Casa Ronald McDonald, já produzidos em versão sinfónica, e estreados em televisão.

Concorrem igualmente para o seu currículo artístico, diversos trabalhos de harmonização vocal e arranjos instrumentais, bem como trabalhos de direção artística e coprodução em estúdio, dos álbuns “Pzzim – é um raio de energia”, “Comboio de Natal” e “We feel sport”, nos quais participaram entre outros músicos, Rui Veloso, Luís Represas, Manuela Azevedo, Nuno Guerreiro, Fernando Tordo, Vozes da Rádio, José Cid e Susana Félix. Recentemente participou também como diretora artística do Coral Infantil Municipal da Maia, na produção em estúdio, áudio e videoclip, do tema “O melhor está p’ra vir”, trabalhando diretamente com Pedro Abrunhosa, autor e compositor deste Hino do Dia Nacional do Pijama, trabalho que teve ampla difusão mediática.

Em Maio de 2015, dirigiu os Pequenos Cantores da Maia nos concertos de Pedro Abrunhosa, Vitorino e Rubim, integrados no Festival de Música da Maia.